HOJE, DIA EUROPEU DAS LÍNGUAS


Para aceder basta clicar na imagem




Para aceder basta clicar na imagem


Vinte e sete anos depois...


Título: Problemas de Género
autor: Judith Butler
editor: Orfeu Negro

SINOPSE:
Vinte e sete anos após a sua publicação original, Gender Trouble está finalmente disponível em Portugal. O livro que fundou a Teoria Queer com nova capa e atualizacao ortografica. Neste livro inspirador, que funda a Teoria Queer, Judith Butler apresenta uma critica contundente a um dos principais fundamentos do movimento feminista: a identidade. Para Butler, nao e possivel que exista apenas uma identidade: ela deveria ser pensada no plural, e nao no singular. Ou ainda, nao e possivel que haja a libertacao da mulher, a menos que primeiro se subverta a identidade de mulher. Com essa formulacao radical, Judith Butler interroga tambem a categoria de heterossexualidade, de forma a relançar a oposicao sexo e genero em novas coordenadas e em outras linhas de forca, nas quais podemos nos aprofundar em perguntas como: o que e ser homem e o que e ser mulher?; o que faz um homem ser homem e o que faz de uma mulher uma mulher? Questões cuja ampliacao contemplaria a multiplicidade de sexualidades, tão visiveis na contemporaneidade.

Problemas de género e o primeiro livro de Butler publicado no Brasil, e talvez seja o mais conhecido. Lançado na década de 1990 nos Estados Unidos, esse livro escrito de forma provocativa e pouco usual no meio académico contribuiu de forma decisiva para a renovação 

Berlim recebe o maior museu de arte dedicado ao graffiti





O Urban Nation é o maior museu dedicado à divulgação e documentação da arte de rua e do graffiti. Abriu as portas ao público esta semana com trabalhos de Blek le Rat e Ron English.
Berlim já tem um museu dedicado exclusivamente ao graffiti. O Urban Nation, no distrito de Schöneberg, abriu as portas esta semana e pretende ser a maior instituição dedicada à divulgação e documentação da arte de rua e do graffiti. A inauguração teve direito a uma exposição com cerca de 100 obras de alguns dos artistas de rua mais conhecidos, como Shepard Fairey, Blek le Rat, o artista francês considerado o pioneiro do uso de stencil no graffiti, ou Ron English. Yasha Young, diretora do museu, explicou ao The Guardian que os trabalhos reunidos no Urban Nation não foram retirados de paredes, são uma “extensão do que acontece na rua”. “A arte que temos aqui não é arte de rua e é importante mostrar que estes artistas de rua também fazem trabalhos em tela.” Além de obras de arte, como pinturas e esculturas, o espaço inclui ainda uma biblioteca, com livros e revistas raras, e outra documentação reunida pela fotógrafa Martha Cooper, que acompanha movimento há quatro décadas.
De acordo com Yasha Young, o principal objetivo do museu é ajudar o público a entender que a arte de rua não é apenas um movimento passageiro e que tem importância artística. Ao The Guardian, a diretora admitiu estar preocupada com o rumo que a arte de rua está a tomar e que pretendia que o Urban Nation “desse alguma fundamentação e integridade” ao movimento antes que este seja “engolido pela publicidade”.
Uma posição defendida também por Blek le Rat, um dos nomes fortes do catálogo do museu alemão. “O mercado é muito forte. Precisamos de alguma coisa que proteja o espírito original da arte de rua mas também de uma memória do que acontece nas ruas para as gerações futuras”, disse o francês ao jornal britânico. “Vamos ver como é que este museu muda as coisas no futuro.”
(Art. Observador de 20/09/2017, secção Cultura/Museus)

"Tu és a folha de outono voante pelo jardim" Cecília Meireles

Ilustração de Cornelia
Perdoa-me, folha seca,
não posso cuidar de ti.
Vim para amar neste mundo,
e até do amor me perdi.
De que serviu tecer flores
pelas areias do chão,
se havia gente dormindo
sobre o próprio coração?
E não pude levantá-la!
Choro pelo que não fiz.
E pela minha fraqueza
é que sou triste e infeliz.
Perdoa-me, folha seca!
Meus olhos sem força estão
velando e rogando àqueles
que não se levantarão…
Tu és a folha de outono
voante pelo jardim.
Deixo-te a minha saudade
– a melhor parte de mim.
Certa de que tudo é vão.
Que tudo é menos que o vento,
menos que as folhas do chão…

Cecília Meireles

Detalhes







Transportes Dos Alunos Dos 2º, 3º Ciclos Do Ensino Básico E Do Ensino Secundário.

A V I S O

INFORMAM-SE TODOS OS ALUNOS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO QUE AS EMPRESAS DE TRANSPORTE  (ARRIVA  E  OVNITUR) FORAM  ATEMPADAMENTE INFORMADAS, POR VIA POSTAL REGISTADA E COM  O CONHECIMENTO DADO À CÂMARA MUNICIPAL DE VILA DO CONDE, DA DATA DE INÍCIO DO ANO LETIVO NO AGRUPAMENTO D. AFONSO SANCHES.

Neste sentido, os autocarros que asseguram o transporte dos alunos para a escola Secundária D. Afonso Sanches e para a escola Básica Julio-Saúl estão assegurados para o dia 11 de setembro.


PLANO NACIONAL DE CINEMA - Ano Letivo 2017-2018

ENSINO SECUNDÁRIO
A lista de filmes do PNC para 2017-2018 constitui-se como um documento de referência, de modo a viabilizar uma operacionalização autónoma de atividades por parte dos estabelecimentos de ensino.





Dia Mundial da Criança



Ilustração de May Ann Licudine

Hoje, dia 1 de junho, comemoramos O Dia Internacional da Criança. É realmente urgente proteger as crianças e lutar para que os seus direitos se tornem realidade, que todos tenham acesso a cuidados de saúde, educação e cultura, para que não haja qualquer criança sem-abrigo, com fome ou vítima de guerras ou de escravidão. Todas as crianças devem ter direito a sorrisos, abraços, cócegas, histórias, brincadeiras, jogos, livros ...
Um mundo melhor e mais justo para todos os meninos e meninas.

breve história da abolição da pena de morte em portugal